sábado, 3 de outubro de 2009

Classificação GP do Japão: crash test dummies

Glock: era melhor ter continuado gripado

O festival de acidentes nos treinos classificatórias para o Grande Prêmio do Japão, em Suzuka, não ocorreu por acaso.

Dos pilotos envolvidos em acidentes, apenas Mark Webber e Timo Glock já correram no lendário circuito nipônico.

Todos os outros nunca tiveram a chance de se aventurar em Suzuka, e isso diz muito da extrema dificuldade de se dominar as curvas de alta velocidade.

Buemi, Alguersuari e Kovalainen aprenderam na marra porque Suzuka é considerado um dos mais desafiadores circuitos ao lado de Spa-Francorchamps.

A pista é uma espécie de Silverstone, mas em terreno irregular, cheio de sobe e desce. É estreita na maioria do circuito e as áreas de escape são pequenas.

Alie-se a isso o tempo escasso de obtenção de setup no dilúvio de sexta-feira e está instalada a confusão.

Dada a dificuldade, é realmente impressionante a frieza com que Jenson Button e Rubens Barrichello fizeram suas voltas rápidas, tanto no Q2 quanto no Q3.

Não é uma questão de um erro apenas possa arruinar os treinos, mas sim de que o erro é algo muito mais provável nessa pista do que Monza, por exemplo.

As cenas dos dois postulantes ao título em seus cockpits concentrados antes de suas voltas lançadas é bastante interessante e demonstra uma batalha que, chegando ao seu final, se torna mais fria e calculista.

Muitos criticam Button por estar correndo pelos pontos, mas fato é que o inglês sabe que suas chances de dar espetáculo acabaram há muito tempo.

Rubens Barrichello também nunca foi visto tão sereno e confiante, mesmo com a alta probabilidade de não conseguir vencer o título.

De todo modo, uma coisa é certa: ambos os pilotos merecem estar disputando o campeonato e o troféu estará bem entregue, seja em que lado da garagem da Brawn GP for.

Que vença o melhor!

Errata: Glock já havia corrido antes em Suzuka, quando substituiu Giorgio Pantano na Jordan em 2004. O post foi corrigido.

7 comentários:

Daniel Médici disse...

Parece que os pilotos estão mais acostumados a curvas de alta velocidade amparadas por áreas de escape de asfalto, confortáveis, com lounge e sala vip. Suzuka, no entanto, tem áreas de escape de brita, e errar perto de uma delas significa que não há meio termo ou margem para perdão. Sabe como é, Suzuka foi feita para sediar corridas, não desfiles.

Fábio Andrade disse...

O problema é que o perigo é a F-1 lançar Suzuka ao ostracismo por causa dessa característica a qual o Médici se refere. Se o modo de pensar a categoria se mantiver, em breve Suzuka será considerada obsoleta, como já aconteceu com Ímola.

Só que Suzuka é minha pista favorita e eu ficaria muito, mas muito sentdo se isso acontecesse.

Jessica Corais disse...

O Rubinho andou reclamando da segurança de Suzuka, mas mesmo assim, acho um circuito muito interessante.

Sobre a corrida, tudo pode acontecer.

Agora, você disse muito bem, qualquer que seja o campeão será muito merecido. O Button foi muito bem na primeira parte do campeonato e o Rubinho domina a segunda.

Abraços, Jessica Corais.

P.S: Gostaria de uma troca de links, com o meu blog?

crisman disse...

Concordo com cada palavra de Daniel Médici. Acontece que a F1 se transformou mesmo num desfile, em que todos acham o máximo o circuito de Cingapura que até agora não vi nenhuma ultrapassagem na pista, tem um asfalto de qualidade deprimente e é absurdamente lento, nada comparável nem mesmo a Mônaco. É simplesmente ridículo.
Suzuka é uma pista, algo raro na F1 de hoje.

Daniel Gomes disse...

Coitada da pista de Fuji perto de Suzuka!

Anônimo disse...

Realmente Daniel, os dois são merecedores do título e espero muitas ultrapassagens logo mais. Suzuka proporciona isso.

Abs

Marcelonso disse...

Daniel,


Essa pista é fabulosa,muito tecnica,não perdoa erros,separa os bons dos medianos.

A corrida promete ser muito boa.

abraço