terça-feira, 6 de outubro de 2009

2010: choques à vista

2010 promete tempestades elétricas à la Senna x Prost

Enquete encerrada, 30 votos que provavelmente representam a totalidade de visitantes deste blog.

Em sete dias, quarenta por cento dos visitantes votantes da enquete do Splash-and-go opinaram a favor de quão eletrizante será 2010 desde Senna/Prost.

Depois das previsões feitas aqui e aqui sobre as duplas de pilotos e suas respectivas equipes, este blog também acredita que ano que vem será ainda melhor que este ano do ponto de vista da surpresa e da competitividade corrida a corrida.

Brawn: nenhuma mudança drástica para 2010

Alguns indicativos de que isso será verdade foram dados por Ross Brawn hoje em entrevista ao site Autosport.

Segundo o chefe da equipe que leva seu nome, o carro de 2010 é conceitualmente similar ao carro de 2009.

"(O carro de 2010) tem capacidade de levar mais combustível e tem pneus diferentes, mas as coisas que estamos fazendo na aerodinâmica do carro agora podem ser levadas para o ano que vem, então não é uma mudança tão dramática", disse Brawn.

Em relação à vantagem da equipe este ano, Ross Brawn diz que as outras equipes agora sabem aonde devem ir para terem uma boa performance em 2010.

"Algumas equipes chegaram neste ano sem saber onde deveriam estar. Não acho que será um desafio tão grande ano que vem como foi de 2008 para 2009", pondera o dirigente.

Domenicali: não há mágica na dominância da Brawn GP

Stefano Domenicali afirma também ao Autosport que a performance da Brawn é resultado de trabalho e recursos. "Penso que as razões pelas quais eles foram tão fortes são bem claras e estou muito feliz por eles pelo que fizeram, mas não tem mágica".

De acordo com Domenicali, com tempo e recursos, é possível fazer um bom trabalho e a performance da Brawn não é circunstância da mudança de regras este ano.

"É claro que (Ross Brawn) vai fazer o que puder com a equipe para dar continuidade à sua história na F1, mas as coisas podem ser diferentes. Mas devemos esperar pelo trabalho que fizeram e com certeza vão estar lá lutando pelo campeonato no futuro", explicou o chefe da Ferrari.

Isso indica que a Brawn vai continuar numa ascendente, embora mais lenta, e que as grandes equipes da F1, Ferrari e McLaren, já sabem bem o que devem fazer para 2010 e os projetos de seus MP4-25 e F70 já devem estar em estado adiantado de execução.

Sem a tremenda vantagem do início deste ano, a Brawn vai ter muito mais dificuldade para dominar o grid, e a competitividade de Ferrari e McLaren, além da Red Bull, aliada às fortes duplas de pilotos sendo formadas agora, vai contribuir para uma temporada fora de qualquer referência nos últimos anos.

Tudo isso não passa de torcida, mas, se a pré-temporada custou a passar este ano, ano que vem vai demorar mais ainda, mesmo que o GP do Bahrein seja quase duas semanas antes do que foi o GP da Austrália este ano.

Chega logo, 2010!!!

4 comentários:

Felipão disse...

engraçado como esses dirigentes falam de um jeito simples. não acho que seguirá tudo na mesma, tendo em vista que a distribuição de lastro será realizada de um modo totalmente diferente...

Daniel Gomes disse...

Bom, se eles estão falando, quem sou eu pra discordar, né? Hehe!

Marcelonso disse...

Daniel,

Realmente a temporada de 2010 tem muitos ingredientes que apontam um equilibrio,sem mudanças tão radicais e tendo uma base fica um pouco mais fácil encontrar o caminho.
Esperamos que seja um ano com mais ultrapassagens,com mais disputas.

Para ficar bom mesmo faltava substituir do calendário Cingapura e Valencia,duas corridas pedantes.

abraço

Ridson de Araújo disse...

Simples demais.. eu naõ vejo simples dessa maneira.

Aliás, vejo tão complicaod que fiz um post só para dar vazão a isso

confere lá no Historias e Velocidade este post (primeira parte) falando da relação Williams- Barrichello e do que um pode fazer pelo outro para o ano que vem...

de quebra isso, traz a pergunta sobre o que os motores poderão fazer ano que vem...como os Cosworth..

http://historiasevelocidade.blogspot.com/2009/10/o-que-e-necessario-parte-1.html