quinta-feira, 29 de julho de 2010

Vídeo da semana

Neste fim-de-semana, a F1 corre no tradicional circuito de Hungaroring, na Hungria.

Além de ser conhecido por ter sido palco do terrível acidente de Felipe Massa em 2009, o circuito geralmente recebe corridas chatas e modorrentas, sem muita emoção. Não deve ser diferente em 2010, mas em 1995 um bizarro acidente foi visto nas curvas do traçado.

Geralmente o vídeo da semana do Splash-and-go vai buscar cenas não muito divulgadas na TV e que, com o advento do YouTube, ganharam o mundo. Mas hoje o vídeo escolhido é mais um pretexto para postar uma foto sensacional do que pelo seu próprio valor.

É sempe bacana, depois de anos vendo imagens de um mesmo acontecimento de um ângulo "oficial", vir a saber que existem ângulos novos muito pouco divulgados. Dá um ar de novidade ao acontecimento em si, já empoeirado com o passar dos anos.

Em 1995, Takachiho "Taki" Inoue, considerado por muitos um dos piores pilotos que já passou pela categoria, fazia uma temporada mais do que apagada pela extinta Footwork. No GP da Hungria daquele ano, o carro de Inoue teve um problema na corrida, o que fez com que o japonês abandonasse.

O carro saía muita fumaça e houve um princípio de incêndio. O piloto, desesperado, correu até o guard-rail para pegar um extintor já na presença de alguns fiscais de pista. Ao voltar, o inesperado: o carro de resgate dirigido por um dos fiscais atropela Inoue que, sem entender o que aconteceu, vai ao chão com muita dor em uma cena tão hilária quanto lamentável.

O vídeo:



E as fotos, sensacionais:

11 comentários:

Bruno Aleixo disse...

Genial!

zema disse...

bizarro demais. o japa tem "pantim" até pra cair!!! ahahahahahahah

JCCJCC disse...

Inoue era mesmo um azarado, já no GP do Mónaco tinha sido atropelado pelo Safety Car quando o seu carro estava a ser rebocado pela grua. Não há vídeo do acidente, só esta foto:
http://f1rejects.com/drivers/inoue/large/95-f1-monaco.jpg

Ron Groo disse...

E quais foram as consequencias? Inoue quebrou a perna ou algo assim? Deu esta impressão.

Daniel Gomes disse...

Ron, ele machucou a perna, mas não chegou a fraturar.

Na corrida seguinte, já estava de volta.

Felipe Maciel disse...

Atrapalhado até off board. Tem algo nos genes dos japoneses automobilistas que é digno de estudo.

Anderson Nascimento disse...

mama mia, o´que foi isso! kkkkk

Anônimo disse...

As equipes adversárias precisam desenvolver com urgência as asas dianteiras flexíveis, “legalizado” pela FIA.
O chefe da Renault: “Parece que rendem cerca de três décimos de segundo por volta, não parece ser apenas a asa que flexiona”.
Button, piloto da McLaren: “Não compreendemos como isso pode ser legal”.
As equipes estariam cobrando da FIA para que ela explique como a Federação liberou essas asas fronteiras, tanto para os carros da Ferrari e os da Red Bull, mostram claramente que as asas estão visualmente pista bem a baixo do permitido.
Felix

Anônimo disse...

Agora é briga das grandes, Mclaren e a Mercedes GP cobraram da FIA o motivo da liberação ilegal das asas dianteiras, apesar da FIA ter declarado a legalidade dos spoilers dianteiros da Ferrari e da Red Bull.
A suspeita é que a FIA está fazendo vista grossa, ficou ainda mais forte depois de um video exibido durante a transmissão da sessão de classificação na Hungria, em câmera lenta com os carros em close-up, percebesse a movimentação fora do normal nos spoilers das equipes suspeitas, com suas asas raspando praticamente no solo.
O efeito da asa mais baixa é conseguido através de um design especial no assoalho o que faz com que a asa dianteira fique baixa a grande pressão aerodinâmica, FIA não encontrou as irregularidades, no teste superficial.
Segundo Ross Brawn, chefe da Mercedes GP, o video mostrado hoje deixou claro de que a asa da Ferrari tem movimentos:
“A Ferrari tem colocado os seus carros para andar com as asas dianteiras muito mais baixas em relação ao solo”.
Martin Whitmarsh, diretor da Mclaren, está claramente aborrecido com o que os rivais estão fazendo:
“Asas flexíveis, elas não podem estar corretas flexionado a este grau, quem faz as regras deveriam fiscalizar com mais responsabilidades”.
A FIA já deveria ter tomado uma decisão sobre essa questão, pois os carros que usam deste artifício ilegal podem ganhar mais 1 segundo por volta.
Whitmarsh lembrou que o artigo 3.15 do livro de regulamento técnico da FIA é bem claro quando ao uso de aparatos flexíveis:
“Se qualquer um der uma olhada no artigo 3.15, o qual diz que as partes do carro devem estar atadas rigidamente, então verá que no fim das contas a peça deve estar 90 milímetros acima do solo e ver as partes tocando o afalto, então eu penso que até uma pessoa leiga e sem experiência no assunto ficaria surpresa como a FIA pode ter permitido”.
Felix

Anônimo disse...

Faltando ainda 7 corridas, para mim, mesmo se não vencer o campeonato, o piloto de 2010 chamasse Webber, com 4 vitórias e o mais espetacular acidente dos últimos anos.
Teve a coragem de desmascarar sua equipe que queria colocar Vettel como primeiro piloto, mostrando dentro da pista que é um grande piloto e que não faz papel de vaquinha de presépio.
Imagino que não deve aparecer nenhum piloto para fazer frente a suas conquistas.
Felix

Anônimo disse...

Hungria
Podemos dizer sem medo de errar, as três ultrapassagens que serão lembradas na história dessa pista, são de três brasileiros:
Piquet sobre o Senna, Senna sobre o Prost e essa de hoje, Rubinho sobre o Michael.
Felix