quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Toyota: o último dos samurais

O anúncio da Toyota não era novidade, conforme adiantou o Splash-and-go neste post, mas a equipe parecia mais comprometida com o esporte do que, por exemplo, a BMW.

Quando saiu da F1 ano passado, a Honda tinha um grande pretexto, e o anúncio foi feito no clímax da crise financeira mundial.

Este ano, a poeira baixou, mas a Toyota ainda assim resolveu se despedir da categoria.

Não sai pela porta da frente, mas também não sai sem ter feito um programa altamente profissional, ainda que manchado por problemas de ingerência da chefia no Japão no trabalho dos dirigentes europeus.

Muitos afirmam que o problema da equipe foi sempre a escolha errada de pilotos, o que tem certo sentido. Mas há outros mais profundos.

O choque cultural, a que Rubens Barrichello se referiu quando disse ser um certo alívio sair da Honda japonesa e entrar na Brawn inglesa, ocorria de forma forte também na Toyota, e foi o que levou Mike Gascoyne a ser demitido da equipe em 2006.

Entretanto, havia na Toyota japoneses comprometidos com o esporte, muitos deles, mesmo que homens estritamente corporativistas e de carreira típica de grandes empresas.

Um desses homens é Tadashi Yamashina, chefe da equipe de F1. E isso se reflete no momento do anúncio, quando o dirigente mal consegue dar a notícia aos repórteres na conferência da marca.



Arigatô, Toyota.

4 comentários:

Daniel Médici disse...

Acho que dizer simplesmente que a falha da Toyota foi escolher errado seus pilotos é algo simplista, por isso concordo com o comentário de Joe Saward. É importante ressaltar que a Toyota teve queda significativa nas vendas de carro, e que ela prevê 2010 com o mesmo cenário.

Ainda mantenho minha opinião, de que a Toyota é o maior exemplo de equipe corporativa que a F1 teve, no sentido yuppie do termo. O modelo de negócio deles continha uma falha determinante: pensavam que executivos ganhavam corridas.

Bruno Tarulli disse...

Hola !

Como andas ?

Bueno espero que visites mi blog de IndyCar que fue creado en julio. Avisame asi te pongo en mis blogs amigos ! ! !

Un Abrazo

=]

Bruno Tarulli

http://indycaraldia.blogspot.com/

Hugo Becker disse...

Não acho que seja tão simplista assim dizer que um dos principais erros da Toyota foi escolher mal seus pilotos. Oras, o modesto Trulli teve momentos muito bons pela equipe. O Kobayashi precisou de duas corridas pra bater o velho italiano.

Um bom piloto levanta a moral de uma equipe ou, no mínimo, a faz ganhar uma espécie de "mítica" em torno de si. A Minardi teve seus heróis, bem como a Arrows. Recentemente, a Super Aguri passou a ganhar a simpatia e até uma certa admiração no grid em função de Takuma Sato (vide Canadá'07).

É claro que não é SÓ isso. Mas se eu listasse os três maiores problemas da Toyota, um deles certamente seria a escolha dos pilotos.

Daniel Gomes disse...

Becker, tb acho que um dos três motivos da derrocada da Toyota foi a má escolha de pilotos, mas com certeza esse não foi o motivo pelo qual eles resolveram sair da F1, não é mesmo?

A questão é bem complexa e podemos apenas tentar supor o que se passa nos bastidores dessas grandes corporações.

De todo modo, penso que a Toyota agregava muito mais valor à F1 que a BMW e sempre simpatizei mais com a equipe nipônica.

É realmente uma pena.