quinta-feira, 6 de agosto de 2009

BMW x Sauber: será tarde demais?

"Esse é o dia mais amargo dos meus 40 anos de envolvimento com o esporte a motor". Assim Peter Sauber definiu o momento por que está passando com sua antiga parceira BMW.

Desde o anúncio da saída da gigante alemã da F1, Sauber estava correndo contra o tempo para que a equipe já estivesse reestabelecida e ele conseguisse assinar o Pacto de Concórdia entre FIA e Fota.

Acontece que nada foi resolvido. Segundo Sauber, a BMW está simplesmente pedindo dinheiro demais para sair da F1. Algo que a Honda, aparentemente muito mais comprometida e ética, não fez. E o pacto foi assinado.

Desta forma, se Sauber quiser salvar a equipe que continua levando seu nome, terá de se inscrever para o campeonato de 2010 como uma nova equipe e, com isso, gastar mais alguns milhões de libras, o que vai dificultar ainda mais o processo.

A postura da BMW continua fazendo estragos na F1 e, se alguém achava que a equipe ia deixar saudades, agora pode se convencer finalmente que a F1 não precisa dela. Sai pela porta dos fundos e os fãs esperam que não volte nunca mais.

4 comentários:

Felipão disse...

Daniel, quando o Frank Williams não vendeu o time para a BMW foi chamado de retrógrado. Depois, o mesmo FW vetou a entrada de algumas equipes satélites, como a Prodrive. E, no final das contas, ele estava certo. Assim como todos aqueles que pregavam os maleficios de montadoras em um campeonato como o da F1. Concordo contigo... Isso é pra ninguém sentir saudades da BMW...

Daniel Gomes disse...

Felipão, é curioso como é a cabeça da gente.

Quando vemos uma BMW na rua, dizemos: "que puta carrão."

Um Toyota Hilux: "esse sobe até parede!"

Um Honda: "Isso é que é tecnologia!"

Um Renault: "Na França não tem pra ninguém..."

E no entanto, quando falamos de F1, pensamos nessas marcas como equipes medíocres, que andam atrás, nunca conseguiram nada de mais expressivo (com exceção da Renault)...

E, mesmo que a BMW continue fazendo carrões a andarem nas nossas ruas, na F1 a marca não passou de um resquício de equipe, de um projeto de promessa.

É uma lástima tremenda a F1 passar por mais essa nesse tão conturbado 2009. Já vai tarde, BMW!

Daniel Gomes disse...

Ademais, nunca fui com a cara nem de Kubica, nem de Heidfeld, então não me sinto mal caso eles fiquem de fora ano que vem como ficaria se a Brawn não tivesse salvado Button e Barrichello, pilotos que gosto muito.

Heidfeld ainda me tem mais simpatia, mas o Kubica é um desastre pra mim. Ele é bom, rápido, destemido, sim, mas perto do Vettel, ele parece um Nelsinho Piquet no que diz respeito a maturidade e postura de campeão.

Gostaria de ver Kubica em um carro competitivo de novo, mas se ele ficar de fora, pra mim não vai fazer diferença. Tem outros pilotos que acho que podem preencher o lugar dele muito bem.

Bruno Santos disse...

Atitude estranha da BMW, não repassando o time para Peter Sauber. Muita coisa deve acontecer. A saída da Honda e agora da montadora alemã só vai contra a tendência que predominou nos últimos anos.
Entrando no quesito pilotos. Os dois, Kubica e Heidfeld precisam mostrar muito serviço. São rápidos. Sem as mãos da BMW, acho que Heidfeld pode sobrar ao final das contas, mas um piloto experiente será bem vindo aos novos times.
E agora, como será o final de temporada da BMW? Definitivamente ficará lá na última fila. Mas ela não está muito longe disso...