sexta-feira, 11 de setembro de 2009

GP da Itália: Fisi, look how bad you are!

Fisico não vai ter tanto motivo para sorrir no GP da Itália

Com o fim dos primeiros treinos livres para o GP da Itália, no circuito de Monza (sim, houve um treino hoje, com DUAS sessões e muitas surpresas, apesar de parecer que não), Giancarlo Fisichella começa a colocar sob perspectiva todas as críticas sobre Luca Badoer.

Se um piloto que nunca parou de competir na F1 pula de um carro para outro e fica em último na tabela de tempos apenas por causa disso, imagine alguém que não corria há 10 anos e mal sabia onde ficavam os botões do carro?

Fisichella deve estar experimentando um misto de alegria, insegurança e MUITA ansiedade agora. Principalmente porque seu ex-companheiro Adrian Sutil fez o melhor tempo da segunda sessão com a Force India.

Pior ainda, o novo piloto do grid, que também mal tem tempo de pista com os novos carros, Vitantonio Liuzzi, ficou em 12º a distantes seis décimos do italiano e sua Ferrari F60.

É claro que ainda há os treinos de amanhã, a classificação e a corrida, mas para a primeira vez do Fisico na Ferrari, talvez tenha sido decepcionante para muita gente.

Como foi dito neste post, "é tempo de compreender o que significa ser piloto de F1, algo tão cobiçado, admirado, sonhado e, ao mesmo tempo, por isso mesmo, tão criticado e invejado".

Marginalizado, Luca Badoer saiu pela porta dos fundos da F1

Luca Badoer não é mau piloto como certamente também não o é Fisichella. A questão é que é MUITO DIFÍCIL pilotar um carro de F1 e Fisi está aí para provar, sem desculpas, sem delongas, sem chorumelas.

Em tempo, a quem viu Badoer com maus olhos após o italiano criticar a mídia por sua despedida sucinta da Ferrari, é bom lembrar que o piloto não culpou a mídia por seu mau desempenho, mas sim por ter sido demitido tão rapidamente.

Sua frase exata foi: "Aqueles que escrevem não entendem quanto mal podem causar. A mídia desempenhou um papel fundamental na decisão de me substituir."

O que isso quer dizer? Que Badoer precisava de tempo, como este blog já havia dito, mas a vontade de criticar e ridicularizar o piloto foi maior. Culpa da Ferrari, não dele. Talvez ele não soubesse o tamanho do desafio e descobriu da pior forma

Quer dizer também que a mesma mídia que ele criticou distorce sem dó nem piedade suas palavras. Ele nunca disse que a mídia era culpada por seus resultados, mas sim por ter ele sido demitido diante dos comentários.

Os resultados são óbvios e falam por si sós, mas quem esperava que Badoer vencesse uma corrida? A Ferrari? A mídia? Os torcedores? Ninguém na verdade. E ele fez o que dele se esperava. Foi um piloto lento, mas com bom espaço para desenvolvimento caso tempo tivesse...

Mas o fato é que Badoer deve estar um pouco aliviado hoje, pois, dependendo do andar da carruagem, pode ser que Fisichella termine seu primeiro fim de semana sob a tutela de Maranello sem nenhum pontinho no bolso.

Coisas da F1.

10 comentários:

Voaridase disse...

Daniel,

peço desculpa, porque sigo o seu blogue há um bom tempo, mas temo dizer-te que creio que estás absolutamente errado nas tuas palavras!

Fisichella tem feito uma adaptação fantástica, ficou na frente de Raikkonen no primeiro treino, e no segundo ficou em último por causa de problemas de acerto no carro.

Pode verificar: http://autosport.aeiou.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=as.stories/76258

O italiano mesmo com todos esses problemas ficou apenas a 0,1s do Button. Peço desculpa por estar a ser um comentário um pouco negativo, mas acho que foi injusto com o "Físico"...

Daniel Gomes disse...

Entendo seu argumento, mas acho que vc não compreendeu o que eu quis dizer.

Eu não quis dizer que Fisico foi mal. Até porque, ele ficou a apenas um décimo do 19º no segundo treino.

O que eu quis dizer é que ele foi MUITO mal em relação à sua corrida em Spa (pole position) e a seu ex-companheiro de equipe Adrian Sutil hoje, sem contar Liuzzi.

Dessa forma, com comparação objetiva, Fisico foi mal. E se ele foi mal (guardadas as proporções), porque ele poderia e Badoer não?

Essa é toda a questão.

Obrigado pelo comentário.

Carlos T. disse...

Sua análise é muito interessante, Daniel.
Os meios de comunicação realmente desceram a lenha no Badoer, inventaram trocadilhos infames, enfim, coisas que deveriam ter ficado somente na informalidade de comentários de fãs de F-1.

Porém, acredito que mesmo que eles tivessem sido mais contidos, a pressão da imensa massa de torcedores Ferrari e o fato da equipe estar correndo risco de perder o 3º lugar na tabela de construtores fariam a Ferrari trocá-lo em 2 corridas, como aconteceu.
E, somando a tudo isso, Badoer não foi apenas ruim: foi terrivelmente ruim. Não foi só uma questão de incapacidade de fazer pontos. Ferrari andando em último quando tem capacidade de andar em primeiro, como foi em Spa, é algo inaceitável.

O problema é que, como você salientou, um carro de F-1 é algo bastante complexo. Fisichella, que veio de outra equipe, deve sentir dificuldades no começo. Creio, no entanto,que sua adaptação será bem mais rápida do que seria com o Badoer. E com poucas corridas pela frente, a Rossa não tem tempo a perder.

Parabéns pelo blog, muito bem escrito os artigos.

Aranha disse...

Daniel,

percebe-se sua ansiedade em espetar a imprensa que malhou o Baduer. Compreendo. Mesmo porque, também achei ridícula a atitude de muitos jornalistas (incluindo principalmente o Galvão Bueno que pegou pesado) em relação ao desafio monstruoso que ele tinha pela frente. Passaram a impressão de que eles não tem noção nenhum das dificuldades da pilotagem de um F1. Mas concordo com Voaridase, você forçou a barra.
"Se um piloto que nunca parou de competir na F1 pula de um carro para outro e fica em último na tabela de tempos apenas por causa disso, imagine alguém que não corria há 10 anos e mal sabia onde ficavam os botões do carro?" letras suas.

- apenas por causa disso?

realmente não foi bem assim. Pode-se dizer que ele deu um baile no vencedor de SPA. Ele deve estar ansioso sim, mas bem satisfeito com a adaptação.

Abraços e parabéns pelos artigos!

Jandui

Daniel Gomes disse...

Obrigado Carlos, pelas visitas e pelo comentário sempre oportuno.

É natural que Badoer ficasse chateado em ser limado tão rapidamente e talvez falasse coisas que não deveria, mas continuo batendo na tecla de que QUALQUER PILOTO (e incluo Michael Schumacher SAUDÁVEL nisso) NÃO SERIA competitivo nas três primeiras corridas, quiçá até em metade ou mais do campeonato.

Badoer não é um ET. É um cara despreparado. Apenas isso. Se se preparasse, seria melhor. Não digo que lutaria por pontos, nem vitórias, isso é impossível dizer.

Mas certamenter seria um piloto competitivo como os outros 19 que estão no grid.

Será que o sonho de correr na Ferrari é maior que o senso de ridículo dele? No caso, foi. Mas eu sou capaz de apostar que ele jamais imaginou que fosse ser TÃO difícil.

E imaginou menos ainda que seria cortado depois de duas corridas. Como eu disse, NENHUM PILOTO na condição de Badoer seria competitivo, pra não dizer pontuante, nas corridas.

Por isso ele ficou chateado com a mídia e chateado em ser cortado. Queriam o que dele? O novo Senna?

No fundo, acho que a Ferrari o manipulou, embora o tiro tenha saído pela culatra.

Daniel Gomes disse...

Aranha, vc tem alguma outra explicação para Fisichella não estar no mínimo entre os 10 primeiros, a não ser o fato de ter saído de um carro X, a Force India, e entrado num carro Y, a Ferrari?

Ele conhece a pista, sabe pilotar como ninguém, é um dos quatro mais experientes do grid e conseguiu uma pole position com um carro medíocre até quatro corridas atrás.

O que mais ele precisava para ir bem?

Andar de Force India.

Bastou ele pular para a Ferrari que a coisa mudou. Não vejo nenhuma outra razão.

Anônimo disse...

Talvez guiar o Ferrari em comparação com o Force India não seja tão simples assim. Talvez por isso a vitória de Kimi em SPA tenha sido bem mais difícil do que todo o mundo quer fazer crer.
Grande hoje foi Vitantonio Liuzzi que saltou na máquina e fez o que fez.

Carlos Anselmo

Daniel Gomes disse...

Exatamente. E é isso que eu falei no último post, "Liuzzi, grande Liuzzi".

Isso para mim é líquido e certo.

Simony disse...

Li seu comentário, excelente diga-se de passagem, sobre o Luca. Ele é um ótimo piloto e, infelizmente, a Ferrari foi ingrata com ele. O p´roprio Luca, em momento algum culpou a mídia como saiu por ai...e mais, se ele tivesse tido mais tempo para conhecer o carro, certamente iria conseguir posições melhores!
QUanto ao Fisichella, sem comentários, esse tá no circo da F1 correndo há muito tempo, como bem dito só pulou de uma Force India pra a Ferrari, mas as pistas são as mesmas e, ele tá na ativa e não como tava o Luca (10 anos e 3 meses) sem correr um GP inteiro! Logo, o que se esperava desse ai era um desempenho melhor...ah, além disso bateu em Monza no 3 treino (papelão!). Agora em Singapura larga em 18...rs e diz "que ainda não tem a confiança necessária no carro num pista tão técnica quanto aquela"...engraçado isso, o Luca teve apenas e tão somente 2 GPs para tentar se adaptar ao carro, estreou em Valência (incrível coincidência...uma pista de rua e técnica como Singapura)...será que a Ferrari vai dar mais uma chance pro FIASCOchella?

Decepcionante a postura da Ferrari em relação ao Luca!

Daniel Gomes disse...

Simony, Fisico não está fazendo um papelão, assim como Badoer não o fez.

A questão toda é que nada é automático na F1 e isso só atesta essa característica de um esporte em que as coisas nunca são exatamente como parecem.

Na maioria das vezes, as coisas são BEM DIFERENTES do que parecem.