quarta-feira, 8 de abril de 2009

Vídeo da semana

Toda quarta-feira este blog vai trazer para você um vídeo, uma foto, uma curiosidade, um momento, enfim, um pedaço da história tanto da Fórmula 1 moderna quanto da clássica.

Este primeiro vídeo mostra uma das mais memoráveis performances de Nigel Mansell, o "Leão" britânico.

Em meados de 1988, Mansell assinou contrato com a Ferrari para correr em 1989 e teve a honra de ser o último piloto pessoalmente selecionado pelo fundador da Scuderia, Enzo Ferrari, antes de sua morte em agosto daquele ano. Era comum que Enzo participasse pessoalmente da seleção de seus pilotos.

Embora tenha terminado o campeonato de 1989 em quarto lugar e sofrido com problemas mecânicos por causa do novo câmbio semiautomático introduzido pela Ferrari, Mansell conseguiu duas vitórias, a primeira na abertura do campeonato, no GP do Brasil (na época no circuito carioca de Jacarepaguá) e a segunda no GP da Hungria,
em Hungaroring.

Mansell largou num absurdo 12º lugar e ninguém poderia esperar que o piloto inglês conseguiria algo, já que na pista estavam o então campeão Ayrton Senna e Alain Prost, ambos na dominante McLaren-Honda, que havia ganhado 15 das 16 corridas de 1988, ano do primeiro campeonato de Senna.

O Leão partiu pra cima e foi ultrapassando um a um, coroando a vitória com uma ultrapassagem final antológica sobre Ayrton Senna, que acabou chegando na segunda posição. Mais de 25 segundos separavam o britânico do campeão brasileiro em cerca de 20 voltas, algo inimaginável pela distância de performance entre McLaren e Ferrari.

E é um compacto dessa corrida que você vai conferir agora... de um tempo em que o piloto fazia MUITA diferença.


4 comentários:

Felipe Maciel disse...

O Mansell tinha seus surtos de genialidade, assim como em outros momentos revelava-se um piloto completamente maluco. Mas as grandes performances do Leão não podem jamais ser esquecidas, o cara era mesmo fera. Boa lembrança...

Ah, já associe seu blog por lá também, parabéns pela iniciativa e boa sorte.

Abs

Bruno Aleixo disse...

De arrepiar Daniel! Eu sou fã confesso de Nigel Mansell, um dos pilotos mais espetaculares que o automobilismo já viu. Fazia suas besteiras? E como! Mas nunca o vi trocar uma ultrapassagem na pista, por uma parada no box mais rápida. Grande Leão!

Bruno Santos disse...

Eu também me junto ao coro, gosto do Mansell. É o personagem da primeira cena de Fórmula 1 que tenho na cabeça. Pena que o inglês tenha sido tão sensível ao longo da carreira (sei lá, ele quis aparecer muito, como diria o Piquet, ser sempre a vítima.
Depois de uma temporada horrível, como a 88 na Williams, bom ver um piloto renascer. Agora aquela disputa com Senna foi atrapalhada pela Onyx. Belos momentos e o blog tá cada dia melhor.
Abraço.

Dan G. disse...

Felipe, obrigado pelo link e pelo comentário. Continue com o belo trabalho na Rádio OnBoard!

Aleixo, acho que um dos pilotos que poderia se aproximar do Mansell no quesito doidera é o Montoya, mas o colombiano só tinha isso mesmo, pq velocidade pura e estrela de campeão, o Leão sobrava!

Santos, a disputa com Senna foi ABRILHANTADA pela Onyx na minha opinião. Demonstra o quão habilidoso Mansell foi num movimento em que ele muito provavelmente não esperava que Senna fosse abrir pra ultrapassar o retardatário. Não dá pra entender tb se Senna esperava ou não que Mansell fosse fazer a ultrapassagem naquele momento. O que parece é que Senna não contava com a ousadia do inglês. O movimento foi puro reflexo do Leão e ficou muito bonito e ousado. Inesquecível!