sábado, 25 de abril de 2009

Classificação GP do Bahrein: dois pesos, duas medidas

A divulgação dos pesos dos carros após a classificação este ano permite aos entusiastas da Fórmula 1 uma série de novas análises interessantíssimas, que contam uma história um pouco mais precisa do que é a performance dos pilotos nos treinos. Embora não perfeitamente, é muito mais fácil agora determinar se uma volta ruim se deveu a um erro na pista ou a um problema de performance do carro.

Na classificação, mais uma vez Rubens Barrichello vai largar atrás do companheiro, mas desta feita ele está mais leve do que Button em torno de uma volta, ou seja, sua volta no Q3 foi realmente ruim, especialmente comparada à volta de Vettel, que está 10 quilos mais pesado (o que o deixaria mais lento que Rubens em torno de dois décimos).

Entretanto, se o tempo dos pilotos for ajustado de acordo com o combustível que levam em seus carros (descontando obviamente as subjetividades de uma volta com tanque mais cheio e mais vazio), a vida de Barrichello fica ainda pior, pois seu tempo fica mais de quatro décimos mais lento que Vettel e oito décimos mais lento que o pole Jarno Trulli, de acordo com a tabela abaixo:

Clique para ampliar. Tempos calculados com base em 0,2s/10kg

Na tabela, é possível ver que Raikkonen está em posição melhor que Massa, quase 10 quilos mais leve, embora o brasileiro tenha ganhado uma posição sobre Alonso com os tempos ajustados. A volta do finlandês no Q2 foi extraordinária, mas a Ferrari deve ter dificuldades de acompanhar os carros à sua frente no decorrer da prova.

Vettel também ganharia uma posição sobre Glock com os tempos corrigidos, o que mostra que o ritmo do piloto da RBR é realmente forte e ele vem para lutar pela vitória.

Já a Toyota levaria Glock à segunda posição, e mesmo à pole, do mesmo jeito, pois o carro está muito leve e o piloto provavelmente cometeu um erro que lhe custou pelo menos três décimos. Ainda assim, conseguiu a segunda colocação, mas quatro décimos mais lento que Trulli.

É interessante notar também na tabela a diferença entre os tempos da Q2 e Q3 entre Glock e Trulli. Apesar de mais leve, Glock foi um segundo mais lento no Q3, enquanto Trulli apenas sete décimos. O ritmo do italiano é absolutamente incrível e, caso nada ocorra de errado amanhã, a vitória de Jarno parece certa.

Hamilton é a presença ilustre das cinco primeiras filas do grid amanhã. O piloto está com o peso semelhante às Brawn, tem o Kers e sua McLaren já está equipada com novas peças aerodinâmicas. É provável que o atual campeão termine à frente das Ferrari, mas não deve conseguir acompanhar as Brawn a corrida toda, principalmente porque o piloto inglês tem uma tremenda dificuldade de economizar seus pneus e isso será determinante amanhã.

Aparentemente a falta de testes da Brawn GP está cobrando seu preço agora, pois os carros brancos de Ross Brawn não testaram em condições extremas, como a chuva da China ou, agora, o calor escaldante do deserto barenita.

Fora o problema dos freios de que Rubinho já vem reclamando há algum tempo, a dificuldade de acertar a sintonia entre as temperaturas dos pneus e a alta performance aerodinâmica dos carros tem feito com que a Brawn perca terreno mais rápido do que se esperava para as outras equipes.

Que não se iluda quem achar que a ex-Honda terá má performance durante a corrida. Pelo contrário. Mas o que ocorre é que a Red Bull está nitidamente melhor, largando mais pesada e com um tempo estupendo.

Rubens e Jenson deram sorte que Webber foi atrapalhado por Sutil nas suas duas voltas rápidas, tanto a primeira, que ele fecharia no momento em que foi bloqueado, quanto a segunda, que ele abriria por estar na última curva antes da reta dos boxes. Sutil matou dois coelhos com uma só cajadada.

Webber poderia estar logo atrás de Vettel, o que complicaria a vida de Rubens e de Jenson consideravelmente com o forte ritmo das RBR.

A corrida amanhã parece estar prometida à Toyota, caso seus dois pilotos escapem na frente de Vettel. A Brawn pode sonhar com a vitória se fizer um primeiro stint excepecional e não deixar a diferença para Glock e Trulli aumentar antes do primeiro pit-stop. Rubens e Jenson podem se dar bem, mas terão que tirar tudo e mais um pouco de seus carros para conseguirem. Será o teste definitivo da nova equipe?

A resposta amanhã, a partir das 9h da manhã, horário de Brasília.

2 comentários:

hegomo disse...

Realmente, saber dos pesos agora apimenta as coisas. Alem, é claro, de mostrar quais sao as grandes equipes e os grandes pilotos.

Hugo Becker disse...

Olha, sei não. O Trulli tá com um ritmo incrível mesmo, pelo tempo que conseguiu na pole-position. Mas o Vettel para depois. E, sabe como é, entre Trulli e Vettel, na dúvida... fico com o Vettel! Aposto em Trulli na segunda posição amanhã.

Abraço, meu caro! Ótimo blog, como sempre!