domingo, 31 de maio de 2009

Fota x FIA: as aparências enganam... e muito!

A queda de braço entre FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e Fota (Associação das Equipes da Fórmula 1) parece ter deixado alguns agentes do jornalismo especializado em automobilismo um pouco confusos. Uma palavrinha mágica parece que vem sendo solenemente ignorada nas rodas de conversa sobre a F1 na última semana.

A palavra é "condicional".


Sim, o documento entregue pela Fota no ato da inscrição das nove equipes (menos a Williams) deixa claro que as equipes correrão em 2010 se, e apenas se, as sugestões da associação forem encampadas por Max Mosley.

De todas as sugestões (leia-se condições), duas são claras como um dia enslorado, quais sejam:
  • primeiro, a assinatura de um acordo de concórdia (Concorde Agreement) entre FIA (de Mosley), FOM (de Ecclestone) e Fota em 12 de junho, a valer até o fim de 2012, por meio do qual todas as regras, sejam elas técnicas, financeiras ou políticas, sejam definidas em conjunto. Em outras palavras, a partir de 2011, tudo fica "democrático" na F1;
  • segundo, a manutenção integral das regras de 2009 para a temporada 2010, ou seja, nada de teto orçamentário e nada de dois tipos de regra em um mesmo campeonato.
Portanto, a inscrição dos times da Fota se condiciona ao cumprimento das premissas acima. Algo diferente e a Fota vai roer a corda.

Acontece que a imprensa está, ou estava, tão voluntariosa no sentido de finalmente escrever o final feliz da história que a Ferrari soltou um comunicado neste fim-de-semana esclarecendo alguns pontos que, parece, passaram despercebidos por muitos.

E fez questão de deixar claro que, para assar essa pizza, a FIA vai ter que suar a camisa mais um bocado ou, para ser mais exato, até o dia 12 de junho.


Só para ilustrar, com a palavra, Stefano Domenicali, no site oficial da Ferrari:

O release da Fota fala em inscrições condicionais. O que isso significa?
É muito simples. As inscrições dos nove times da Fota (Williams foi suspensa) para a temporada de 2010 só serão válidas se o Concorde Agreement for assinado e o regulamento for o mesmo que está em vigor, com algumas modificações sugeridas pela Fota.

O que vai acontecer se essas condições não forem observadas?
Mais uma vez, é muito simples. As inscrições de todas as nove equipes serão invalidadas.

Qual a razão do prazo ser 12 de junho?
Pelo fato de ser esta a data em que a FIA precisa publicar a lista das equipes selecionadas para competir em 2010 e queremos que tudo seja resolvido até esta data.

A decisão de se inscrever condicionalmente implica numa eventual concordância com o teto orçamentário?
Absolutamente não. A solicitação para tornar o regulamento de 2009 em um ponto de partida significa que não haverá teto orçamentário.

Se estas solicitações forem atendidas até 12 de junho, pode-se dizer que a Fota venceu a batalha?
Se isso acontecer, e eu realmente espero que aconteça, eu preferiria dizer que a Fórmula 1 é a vencedora. Ela vai ter mantido suas características principais de competição tecnológica e esportiva, assegurado a estabilidade do regulamento e o comprometimento de longo prazo dos participantes. Isso é o que a Fota sempre quis: trabalhar ao lado da FIA e do detentor dos direitos comerciais (FOM - Formula One Management) para uma Fórmula 1 saudável e próspera.

Na entrevista, o chefe da Scuderia italiana fala também sobre como a Fota pretende auxiliar na redução dos custos da F1, mas o que importa mesmo são suas respostas mais do que incisivas sobre o caráter condicional das inscrições da Fota.

A situação ainda é periclitante para a F1 em 2010, principalmente no que diz respeito às novas equipes que se inscreveram na esperança de poderem competir em pé de igualdade com as equipes da Fota.

Muitos afirmam que as novas equipes são massa de manobra de Mosley, mas este blog não acredita nessa hipótese com tanta convicção, pois apenas para se inscreverem, as equipes já têm de fazer um depósito caução na irrisória quantia de US$ 2,5 milhões para seus fornecedores de propulsores (provavelmente a Cosworth para todas as novas equipes).

Esta semana pré-GP da Turquia vai esclarecer muitas coisas, mas convém ficar de olho aberto diante das entrelinhas dessa conversa que, ao que tudo indica, mais uma vez deve ver seu desfecho apenas horas antes do prazo final, no nosso malfadado Dia dos Namorados.

2 comentários:

João Bosco De Oliveira disse...

Muito bom.
Fostes o primeiro a dirrimir minhas dúvidas acerca dessa negociação ganha-ganha...
Tenho visto negociações, em minha profissão, a mais de dez anos. NUNCA é fácil... Se no mundo dos pobres mortais é assim, imagine no mundo assombroso da F1.
Creio que vimos somente o início, ainda veremos outras manobras por parte das equipes antes de 12/06. Tomara eu estar errado, mas as equipes aproveitarão "os holofotes" (CORRIDAS) para demonstrarem o descontentamento... Mais ou menos o que houve em Indianápolis, onde todas se recolheram menos a Ferrari. Dessa vez a Ferrari também recolherá...

Dan G. disse...

João, creio que o esclarecimento mais que veemente da Ferrari demonstra que as negociações estão realmente complicadas e a euforia do "já ganhou" que a imprensa levantou enste fim-de-semana levou a Scuderia a jogar um balde de água fria em todo mundo e dizer: "não, a FIA não ganhou nada. Há muito o que ser discutido ainda".

É preciso ser prudente na hora de chegar a conclusões acerca deste assunto.

Abraços e obrigado pelo comnetário!