terça-feira, 13 de abril de 2010

GP da China: o que esperar para o fim-de-semana

Setenta e cinco. Seria esse o número de pontos que Sebastian Vettel teria amealhado caso seu RB6 não o tivesse deixado na mão nas duas primeiras corridas do ano. Ainda assim, o alemão ocupa a terceira colocação no campeonato com o mesmo número de pontos que Fernando Alonso.

Caso as outras três grandes do G4 não reajam, a cena acima, no GP da China em 2009, corre o risco de ficar perigosamente comum em 2010

Em 2009, a Red Bull conseguiu sua primeira dobradinha justamente na China, debaixo de muita chuva. Vettel, que havia vencido pela primeira vez com a Toro Rosso em uma encharcada corrida em Monza em 2008 deu o mesmo show de pilotagem e consistência sem um único erro sequer.


Este ano, a prova de Xangai é a quarta corrida da temporada. De novo, a Red Bull conseguiu sua primeira dobradinha na terceira corrida e agora segue em direção a uma prova que dominou de ponta a ponta ano passado. Ou seja, dobradinha à vista de novo, caso não chova loucamente como na Malásia, principalmente na classificação.

Na volta à Europa, as equipes vão trazer fortes pacotes aerodinâmicos, mas mesmo que isso ocorra, dessa vez não existe uma Brawn GP com um forte subterfúgio como o difusor duplo para ganhar a distância necessária da equipe energética.

Quem dá as cartas é a Red Bull e ela que determinou o benchmark deste ano desde a primeira corrida no Bahrein. A dominância da equipe de Adrian Newey não se deve a um ponto específico, mas a um conjunto de elementos fundamentalmente corretos e eficientes que dão à Red Bull uma vantagem muito mais consistente e palpável do que a da Brawn ano passado.

Além disso, há no volante Sebastian Vettel, um piloto que cada vez mais se assemelha a Schumacher no que diz respeito a passar por cima dos adversários sem dar chance a ninguém.

Se Ferrari e McLaren não reagirem, corremos o risco de não mais ver Vettel na nossa TV, não porque ele vai abandonar ou não fazer show, mas sim porque ele vai estar lá na frente, apenas administrando a monstruosa vantagem que tem como piloto e também de seu carro.

Na China, a Red Bull vai continuar fazendo uso de suas longas asas.

5 comentários:

Anônimo disse...

Brother,
excelente site, mas acho que você deu uma escorregadinha na ortografia, aí, viu? Pecadinho perdoável, pois acho que se escreve "palpável".

Abraços,

Daniel Gomes disse...

Escrever textos para blogs é um exercício "on the fly" e estamos todos sujeitos a isso.

Obrigado pela observação! O erro foi corrigido.

Tomás Motta disse...

Então Daniel..
mais um ótimo post, parabéns!
as asas da red bull ja "quebraram' duas vezes para vettel,e nem quero imaginar se tivessem ficado bem...

A Red Bull está como clara favorita para a vitoria, a chuva e o fato de poupar pneus ajuda;;;

"Na volta à Europa, as equipes vão trazer fortes pacotes aerodinâmicos"

A Mercedes já tem em mente um projeto B, inclusive ;)

bom, é isso por enquanto..

abraço e apareça lá no Blog Fórmula 1!

P.S.: Obrigado por adicioná-lo na sua lista de links, valeu!

Ron Groo disse...

Assim espero.
Que a Red Bull continue dando as cartas, para não dar chance ao Alonso... hehehehe

Ridson de Araújo disse...

Vc fez um post com as mesmas características do meu, mas cheguei a uma conclusão totalmente diferente (bom p/ debater)

Não sei, mas acredito que as retas de Xangai ajudam e muito a maclaren...da Red Bull nada se pode duvidar, mas acredito que ela e a Mercedes, muito mais do que Ferrari, vão dar um senhor trabalho.

Aqui está: http://historiasevelocidade.blogspot.com/2010/04/rapidas-expectativas-para-china-2010.html