quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Vídeo da semana

Na preparação do GP da Alemanha, na inauguração do novo traçado de Nurburgring, em 12 de maio de 1984, foi organizado um All Star GP para atrair as atenções do público para a corrida de domingo.

Na largada, Senna (11) entre Keke Rosberg (4) e John Watson (5)

Mestres do automobilismo, entre eles nove campeões mundiais de três gerações diferentes, como Prost, Lauda, Rosberg, Hunt, Moss e Surtees correram em carros Mercedes-Benz 190E 2.3 16v de rua sem nenhuma preparação especial.

A folha de resultados com a constelação de nomes e seus tempos
Clique para ampliar


Embora digam que os pilotos estivessem correndo por diversão, sem grandes disputas reais, Senna venceu com um segundo de diferença para Niki Lauda, o segundo colocado.


Senna guia forte nas curvas de Nurburgring

Relatos da época indicam que Lauda chegou a treinar para essa corrida para poder vencer na "sua" Nurburgring, que estava recebendo uma série de competições importantes após fechar seu clássico traçado original.

A Mercedes nº 11 de Senna: peça de museu

O carro vencedor seria levado direto para o museu da Mercedes-Benz na Alemanha. A vitória de Senna, apenas uma promessa naqueles dias, foi um balde de água fria para os organizadores.

Entretanto, hoje em dia eles devem estar orgulhosos de ver que o desconhecido "Ayrton da Silva", como era ainda conhecido, saiu vencedor naquela disputa.

Acima, o carro de Senna levado pela Mercedes-Benz ao
Goodwood, Festival of Speed, em 2004


Confira abaixo cenas históricas dessa magnífica corrida e do pódio com um Ayrton Senna estreante na F1 com apenas 24 anos e muita velocidade a mostrar ainda em sua vitoriosa carreira
.



4 comentários:

Fábio Andrade disse...

Cara, que impressionante!

Os caras atacando as curvas de lado, "pendurados", como se diz.

Deve ter sido divertido "brincar" sem nenhum compromisso dessa forma.

Henrique disse...

pq hoje em dia nao fazem mais "brincadeiras" como essas? Os pilotos atuais parecem viver numa redoma de vidro, intocáveis.

Ron Groo disse...

Esta história esta também no livro do Eduardo Correa, e naquela época um piloto brasileiro que não me recordo o nome disse que se dessem vinte e dois ônibus de dois andares para os pilotos e fizessem uma corrida todos saberiam que seria o vencedor: Senna.

Daniel Médici disse...

A frase que o Groo cita, se não me engano, é do Gugelmin.

Hoje eu vejo este evento como uma óbvia tentativa de legitimação da nova Nürburgring, que pretendia ser o mais moderno autódromo do mundo, mas que possuía uma sombra enorme ao norte, chamada Nordschleife.

Para se ter uma ideia da rejeição provocada, as pessoas se recusavam a chamar o novo Nürburgring por este nome: nas arquibancadas, ele foi batizado de Ersatzring (circuito substituto). Os mais políticos também o nomearam "Circuito do Partido Verde".

Diante dos milhões investidos, e da opinião pública, a ideia de reunir alguns dos melhores pilotos da época e do passado veio bem a calhar.

E o melhor, funcionou, porque Senna deu um show como azarão. O depoimento de Surtees no primeiro vídeo mostra o quanto o brasileiro passou a ser respeitado, mesmo como um mero estreante.