quinta-feira, 24 de junho de 2010

USF1: e abre-se o cadafalso

Deu no blog do sempre fantástico James Allen. A FIA puniu severamente a ex-futura equipe USF1. Segundo a entidade, "a equipe, embora bem intencionada, demonstrou má gerência financeira e subestimou os requisitos para apresentar um carro de F1 para a temporada de 2010 a tempo e com os recursos financeiros disponíveis a ela".

A palavra que salta aos olhos é "subestimou". Como diabos um time que nunca participou de um campeonato de F1 pode estimar de forma correta o que significa participar de um? Se alguém estimou errado alguma coisa, foi a própria FIA que, ao dar o ingresso à equipe, superestimou a capacidade desta de montar um carro a tempo.

A atitude arrogante e despropositada da FIA só serve para uma coisa: desencorajar e fechar ainda mais as portas para qualquer pessoa que tenha como plano de negócio ou mesmo um sonho montar uma equipe na categoria.

Windsor e Anderson: para a FIA, calados, eles já estavam errados

No decorrer do processo foram poucas as informações precisas que saíram a respeito do status da USF1, o que é condenável, haja visto que um dos chefes da equipe é um renomado jornalista, mas, ao mesmo tempo, a espera pela assinatura do "Concorde Agreement" e a consequente redução no teto orçamentário acabou se tornando um balde de água fria para as pretensões de Peter Windsor e Ken Anderson, que contavam com isso.


Para completar, o corpo de jurados que decidiou pela condenação da equipe, além de banir a USF1 de qualquer evento oficial da FIA e multá-la em mais de R$ 600 mil, ainda foi mais longe.

"(...)os membros do conselho tinham muitas preocupações a respeito do impacto no campeonato, para não falar da privação da oportunidade de outra equipe em prover dois carros para correr no campeonato de 2010 em vez da USF1".

Sim, a culpa de haver dois lugares vagos no grid é da equipe que foi selecionada por um criterioso (?) processo da FIA para escolher novos pleiteantes à F1.


Uma vergonha dupla para a categoria.

3 comentários:

Ron Groo disse...

É curioso, puniram uma equipe que efetivamente nem existe, mas nem uma linha sobre o teste da Ferrari em Fiorano que a equipe marotamente chamou de "filmagens".

um peso e duas medidas.

Daniel Gomes disse...

É como vc gosta de dizer: Ferrari International Aid!

Felipe Maciel disse...

Essa de punir equipe que não existe foi de doer.

Creio que o maior ganho com a chegada do Todt em relação ao Mosley é a estabilidade, mas certas coisas não mudam.

Eu esperava algum tipo de reação da FIA contra a Stefan, que foi à justiça, que quis trazer o Coughlan e que ainda busca vaga pra o ano que vem... Mas bater em cachorro morto? Francamente, dona FIA!